quinta-feira, 24 de julho de 2008

YOWLI Brasil de luto


Morreu na manhã desta quinta-feira, 24, no Hospital Salgado Filho, Rio de Janeiro, nossa amiga, irmã, companheira de luta, Elteka, 26 anos, da Guiné Bissau.

Sempre alegre, inteligente, guerreira, tenho certeza que em nossas mentes ficará a recordação da pessoa maravilhosa que ela é.

Com certeza estamos unidas neste dia que amanheceu chorando e em todos os dias de nossa vida!

Saudades, Teka!!!!

2 comentários:

Rui Delgado disse...

os meus sentimentos de pÊsames ao grupo da guiné e familiares dela, com certeza vamos todos sentir com sua ausencia!!!

Lia Lopes SP disse...

Prezadas Yowlis,
é com imensa tristeza que todas nós, ao seu tempo, recebemos esta noticia. E pensar que nossa amiga e companheira estava firme e forte nos encontros que realizamos e nos ideais de multiplicar e ampliar o nosso grupo... O tempo passa rápido e o destino brinca conosco. Realmente somos incapazes de controlar o dia de amanhã - tudo pode nos acontecer.
Por este motivo, frente a nossa força, amizade e solidariedade a todas/os que conheceram Etelka, sinto que este fato drástico me fez repensar/ refletir sobre algumas coisas.
Etelka se foi, mas deixou uma grande missão e uma grande mensagem para todas nós. Sinto que mais do que nunca precisamos nos fortalecer enquanto grupo, inclusive pensar sobre como aproveitar mais o nosso tempo juntas (quando estamos unidas em nossos encontros ou por meio de nossos e-mails/ mensagens) e nos aproximarmos mais umas das outras.
Tenho a sensação que o que aconteceu com a Teka foi um sinal para nós revermos algumas de nossas posturas, sermos mais solidárias, amigas que podem fazer muito mais do que dar palavras de apoio, entendem?!
Somos mulheres negras jovens lideranças, mas que frente a momentos como este somente conseguimos enviamos palavras de apoio. Sei que é tudo o que podemos fazer nesse instante, mas ainda é pouco, muito pouco do que de fato poderíamos fazer.

Hoje, dia 25 de julho de 2008, Dia Internacional da Mulher Negra Latinoamericana e Caribenha, data histórica que simboliza nossa luta por conquistar espaços antes (e até hoje) negados a nós, quero registrar que devemos seguir em frente e dar continuidade aos ideais de nossa amiga Etelka, sermos fortes e lembrarmos que será dessa nossa união que surgirão novos desafios para enfrentarmos juntas (questões que envolvem a vida e a morte) e nos prepararmos mutuamente para sermos capazes de transformar muitas realidades (não só as nossas, mas as de muitas outras mulheres que não estão no espaço em que estamos, mas que simbolizamos/ representamos em nossa causa).

A Todas/os, Um grande abraço.
E a "Guerreira Etelka: onde você estiver, saiba que você estará sempre em nossos corações e mentes".